Tuesday, November 14, 2006

Vaga análise sobre o nada...


... Pois eu me refiro a uma criança, daquela que não morou nas ruas... Daquela que nunca passou fome, nem frio... Mas daquela que foi à escola, teve um lar e foi cuidada por alguém...

Mas que alguém? É disso que falo. E também do frio que não se passou, da fome que não se sentiu, das tantas pessoas ao redor, das festas coletivas, das presenças em aniversários alheios, e das letras que chegaram, bem antes de tudo...É dessa criança que falo. A que teve tudo. E tanto. E todos. E, na verdade, nunca teve nada, nem ninguém...E aí esse desconforto de não fazer parte. Não pertencer a mundo nenhum. E a falta de ter a quem culpar, nem homenagear.

Um elefante rosa com uma flor nas mãos, no meio do trânsito...

É disso que falo. Mas falo pra dentro. Porque pra fora, não há letras que possam exprimir. Estas nunca vieram. Nem nunca virão.

(Adriana Luz - madrugada de 15/11/2006)

3 comments:

cafundó said...

Esta criança será feliz e que ela não morra nunca!

Ananda said...

Um elefante rosa com uma flor nas mãos no meio do trânsito.
Deve ser algo constrangedor.
Estranho a gente não escolher como viver, mas se a gente tivesse a chance de escolher, será que estaríamos satisfeitos do mesmo jeito?
Beijos, Flor do Campo.

Ananda said...

Aii, quem fez esse desenho lindo, Flor??
Beijinhos fofinhos.
hahaha